Custo Fixo, o inimigo número 1 do lucro.

O Custo Fixo é um conjunto de gastos que não variam de acordo com o faturamento. Se a empresa fatura muito ou pouco ou até mesmo nada, o Custo Fixo acontecerá e deverá ser pago.Alguns exemplos de contas de Custo Fixo: aluguel, consumo de água, energia e telefone de escritório, manutenções de imobilizados, folha de pagamento do pessoal administrativo com encargos, despesas com veículos, honorários de contabilidade e de jurídico, despesas de suprimentos de escritório, limpeza e copa, despesas com sistemas, segurança, internet e outros.

Em geral, são semelhantes entre as empresas de diferentes segmentos.

Pagar uma determinada verba todo mês não é sinônimo de custo fixo. Parcelamento pela compra de máquinas e equipamentos ou amortizações de empréstimos, são contas que são pagas todo mês, mas não são custos fixos. São desembolsos financeiros fixos, não pertence ao grupo de contas de custos fixos.

Existem gastos que a empresa realiza o desembolso todos os meses, mas não são operacionais como por exemplo, parcelamentos de tributos atrasados, consórcios, financiamentos, investimentos e amortizações de empréstimos. Esses desembolsos apesar de fixos, não estão ligados à atividade operacional da empresa.

O Custo Fixo não varia e está relacionado com o tamanho da produção e do faturamento mensal de empresas. Portanto, o custo fixo é uma despesa que precisa ser paga pelo faturamento. A empresa precisa buscar um faturamento que pague os custos e despesas variáveis, que pague o Custo Fixo e que ainda sobre um lucro rentável.

Com o lucro obtido, a empresa gera caixa para pagar os gastos não operacionais.

Dizemos que o Custo Fixo é ladrão de lucro. Cada R$1 economizado no Custo Fixo, representa R$ 1 a mais direto para o resultado. Ao mesmo tempo em que cada R$1 gasto no Custo Fixo, é R$ 1 a menos no resultado. Por isso, o Custo Fixo deve ser bem controlado e sempre revisado, buscando soluções para reduzi-lo.

O total do Custo Fixo em R$, número absoluto, é sempre o mesmo ou há pouca variação. Porém ele em número relativo, varia conforme o faturamento. Por exemplo, uma empresa que tem o Custo Fixo de R$ 150 mil e fatura R$ 800 mil, o peso do Custo Fixo sobre o faturamento é de 18,75%, mas se em determinado mês o faturamento cair para R$ 650 mil, o peso do Custo Fixo subirá para 23% do faturamento. Devido ao baixo faturamento, o Custo Fixo pode eliminar o lucro operacional.

O Custo Fixo é um indicador muito importante. Ele informa se uma empresa está rentável ou não. Ele determina o volume de vendas necessário para paga-lo e deve ser bem controlado. É necessário manter o custo fixo num montante tal que o faturamento possa pagar, sem prejuízo do lucro e da rentabilidade desejada no negócio.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
× Como podemos te ajudar?